Thursday, September 9, 2010

The most carioca of the Germans


The neighborhood of Lapa, which posted an old house yesterday, is part of the cultural corridor of the city of Rio de Janeiro. Gradually, the old houses are being reclaimed and turned into bars, restaurants and cultural institutions as the Museum of Image and Sound, for example, and even bookstores and used book stores.

This is the Bar do Ernesto, founded in 1936 by a German couple who had fled the Nazi regime. Indeed, this 19th century house was restored and renovated by the grandson of the couple in 1993. Since then, the Bar do Ernesto has become tradition for more than 70 years ago in Rio. Click here to view images of the original house at the restaurant's site.

O bairro da Lapa, do qual postamos uma casa antiga ontem, faz parte do corredor cultural da cidade do Rio de Janeiro. Aos poucos, o casario antigo está sendo recuperado e transformado em bares, restaurantes e instituições culturais, como o Museu da Imagem e do Som, por exemplo, e até mesmo livrarias e sebos.

Este é o Bar do Ernesto, fundado, em 1936, por um casal de alemães fugidos do regime nazista. Na verdade, esta casa do século 19 foi recuperada e reformada pelo neto do casal em 1993. De lá para cá, o Bar do Ernesto já virou tradição de mais de 70 anos na noite carioca. Clique aqui para ver imagens do casarão original no site do restaurante.






© Rio Daily Photo The photos in this blog are intellectual property. If you are interested in any of them, ask us!
As fotos deste blog são propriedade intelectual. Se você se interessa por alguma delas, peça-nos!

1 comment:

Thanks for your comment!

Related Posts with Thumbnails

Why?

Le véritable voyage de découverte ne consiste pas à chercher de nouveax paysages, mais à avoir de nouveaux yeux. (Marcel Proust)



[Click on the images to enlarge them.]


Here we are

Here we are

What time is it in Rio?

Compteur de visiteurs en lignes

What about the weather?

Who, where or when?

What?

We walk by the streets of our city and very often we don’t realize its images, which are there and which suddenly are not any more.

To photograph and glance is to guard images, impressions. It is also to re-discover the space where we live, our imaginary and scenario of our lives.

Our glance is not enough. It is necessary that others look what we see.

Andamos pelas ruas de nossa cidade e muitas vezes não percebemos suas imagens, que estão ali e que de repente não estão mais.

Fotografar e olhar é guardar imagens, impressões. É também redescobrir o espaço em que vivemos, nosso imaginário e cenário de nossas vidas.

Nosso olhar não basta. É preciso que outros olhem o que vemos.


Who see me?

To whom?

Bookmark and Share