Friday, November 20, 2009

"Feijão Maravilha"


These nice beans are seats for children, made for a playground shopping in Rio de Janeiro. The artist - Carlos Vergara - designed a space with banks beans, fences matchsticks and slides of leaves.

The benchs are exposed in a little shop in the Modern Museum of Art. The work of Vergara can be see also in a exhibition at the same Museum.

By the way, the black beans are the base of the carioca's meals!

Ah, and the title of this post (wonder beans) is the title of a Brazilian song, a recipe, several restaurants and a TV soap opera.

Estes simpáticos  feijões são bancos para crianças, feitos para um playground em um shopping no Rio de Janeiro. O artista - Carlos Vergara - desenhou um espaço com bancos de feijões, cercas de palitos de fósforo e escorregas de folhas.

Os bancos estão expostos em uma pequena loja no Museu de Arte Moderna. O trabalho de Vergara pode ser visto também numa exposição no mesmo Museu.

A propósito, o feijão preto é a base da alimentação do carioca!

Ah, e o título deste post é o título de uma música brasileira, uma receita, vários restaurantes e uma novela de TV.

2 comments:

  1. Fun and artsy seats! I want to try sitting on one!

    ReplyDelete
  2. Frenéticas music.

    Dez entre dez brasileiros preferem feijão
    esse sabor bem Brasil
    verdadeiro fator de união da família
    esse sabor de aventura
    famoso Pretão Maravilha
    faz mais feliz a mamãe, o papai
    o filhinho e a filha...
    And so on!

    Nice shot!

    ReplyDelete

Thanks for your comment!

Related Posts with Thumbnails

Why?

Le véritable voyage de découverte ne consiste pas à chercher de nouveax paysages, mais à avoir de nouveaux yeux. (Marcel Proust)



[Click on the images to enlarge them.]


Here we are

Here we are

What time is it in Rio?

Compteur de visiteurs en lignes

What about the weather?

Who, where or when?

What?

We walk by the streets of our city and very often we don’t realize its images, which are there and which suddenly are not any more.

To photograph and glance is to guard images, impressions. It is also to re-discover the space where we live, our imaginary and scenario of our lives.

Our glance is not enough. It is necessary that others look what we see.

Andamos pelas ruas de nossa cidade e muitas vezes não percebemos suas imagens, que estão ali e que de repente não estão mais.

Fotografar e olhar é guardar imagens, impressões. É também redescobrir o espaço em que vivemos, nosso imaginário e cenário de nossas vidas.

Nosso olhar não basta. É preciso que outros olhem o que vemos.


Who see me?

To whom?

Bookmark and Share